ESSA nota de R$ 100 pode valer até R$ 4.500; saiba como trocar

ESSA nota de R$ 100 pode valer até R$ 4.500; saiba como trocar

A grande maioria da população ainda não sabe, mas as notas reais podem valer mais do que o que está impresso nos modelos em circulação.

Primeiro é importante esclarecer que nem todas as que estão em circulação são, têm um valor alto. Na verdade, a grande maioria vale o que representa, ou seja, R$ 50 valem 50 reais e R$ 100 valem também 100 reais. No entanto, existem algumas características que agregam valor aos modelos e os fazem custar muito mais do que o valor anunciado.

Entre os modelos, a rara nota de R$ 100 ganhou muito valor ao longo dos anos. Em suma, o modelo em causa apresenta um defeito de fabrico que o distingue das restantes notas em circulação. Além disso, as notas em questão são muito antigas e pertencem à primeira família real.

Qual nota de R$ 100 tem o maior valor de mercado?


Primeiro, é importante esclarecer que o valor de mercado varia de acordo com o interesse do cobrador. Alguns fatores são mais desejáveis ​​e tornam os modelos mais valiosos, como um pequeno número de estampas, erros de fabricação e estampagem e antiguidade.

Em relação à nota de R$ 100, seguem abaixo as principais características do modelo:

  • Cédula de R$ 100 da “primeira família” do real;
  • Ausência da frase “Deus seja louvado”;
  • Emissão em 1994, ou seja, no início do Plano Real;
  • Assinatura do ministro da Fazenda, Rubens Ricupero;
  • Assinatura do presidente do Banco Central, Pedro Malan.

Primeiramente, é importante esclarecer que o atual Ministério da Economia se chamava Ministério da Fazenda na década de 1990. Naquela época, o chefe do passado tinha a função de assinar as cédulas, assim como o presidente do Banco Central (BC). Embora esses itens fossem tão importantes na época, eles ajudaram a aumentar o valor da cédula para R$ 100.

Em resumo, no início da introdução do real, o Banco Central tinha alguns planos presidenciais em país, no ano de 1994. Um desses presidentes foi Pedro Malan, que comandou o BC por um período muito curto entre setembro de 1993 e janeiro de 1995.

Enquanto isso, entre 30 de março e 6 de setembro de 1994, daqui a pouco mais de cinco meses, Rubens Ricupero era ministro no governo Fernando Henrique Cardoso. Durante este tempo ele assinou as cédulas em circulação no país com Malan.

Neste caso apenas três séries receberam as assinaturas de ambos: 1199, 1200 e 1201. Então essas são exatamente as cédulas dessas séries, com um valor muito alto. Ao mesmo tempo, a omissão da frase Deus seja louvado, erro que passou despercebido, encareceu ainda mais o valor das notas de R$ 100.

De qualquer forma, quem possui uma cédula de R$ 100 da primeira família real com as assinaturas de Malan e Ricupero e sem a frase “Deus seja louvado” pode ganhar até R$ 4.500. Para fazer isso, a nota deve estar em excelentes condições. Você tem algo assim em casa?

Compartilhe este post:

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.