Saiba quais caminhoneiros poderão receber o novo Auxílio de R$1 mil

Saiba quais caminhoneiros poderão receber o novo Auxílio de R$1 mil

Saiba quais caminhoneiros poderão receber o novo Auxílio de R$1 mil

Nesta quinta-feira (30), o Congresso Nacional aprovou a criação de um subsídio de R$ 1.000 para caminhoneiros. Na quarta-feira (29), o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que informa a PEC sobre o estado de emergência, deu mais detalhes sobre o voucher, que pode durar até cinco meses.

Segundo Sr. Senador, Com o pagamento do novo auxílio, o governo federal quer mitigar os efeitos dos preços do diesel, que subiram continuamente nos últimos meses. Uma boa parte desses aumentos de preços atingiu duramente os caminhoneiros. Temendo a greve, o Planalto decidiu ajudar de alguma forma.

Mas quem poderá receber o novo benefício? De acordo com o texto oficial, pouco mais de 872 mil caminhoneiros podem receber os valores. O requisito básico é que sejam autônomos, ou seja, não tenham vínculo com uma empresa de transporte. Assim, o trabalhador é elegível ao regime.

Além dessa questão, o cidadão também deve registrar seu nome no Cadastro Nacional de Empresas de Transporte Rodoviário mantido pela Agência Nacional de Transportes (ANTT). O trabalhador deve ter um perfil nesta lista registrado na categoria Transportador Autônomo de Carga (TAC).

Análise de dados


Segundo o governo federal, o Ministério da Cidadania analisará os dados dessa lista para decidir quem pode receber o novo benefício. Portanto, não está prevista uma inscrição direta como no antigo auxílio emergencial. O método chegou a ser cogitado pelo Planalto, mas a ideia não foi implementada.

Segundo o Ministério, está prevista a análise dos dados cadastrados nesta lista até o último dia, 31 de maio. Portanto, pode-se dizer que o trabalhador que não está no cadastro não tem tempo de se cadastrar para ter uma chance. Nesse sentido, o método já está recebendo algumas críticas dos trabalhadores que teriam direito ao dinheiro.

De acordo com o Ministério da Cidadania, há uma grande demanda de caminhoneiros por vagas nesse novo programa social. Mais de 5.000 deles se inscreveram no cadastro da ANTT, considerando apenas o último mês.

Alta procura

No entanto, o ministério continua afirmando que não levará em conta os nomes dos cidadãos cadastrados após 31 de maio em que foram incluídos no a lista. O objetivo da medida é evitar fraudes no novo sistema de pagamento de vouchers, segundo a pasta.

No governo federal há um temor interno de que o cenário se repita em 2020. Naquela época, milhões dos brasileiros aderiram aos fundos de auxílio emergencial. Uma parcela significativa das inscrições teria sido feita por fraudadores.

Subsídios mais problemáticos


É importante lembrar que o governo federal não está apenas propondo a criação de um novo benefício para os caminhoneiros. Ainda nesta semana, o Congresso Nacional considerou uma proposta de aumento dos valores do Auxílio Brasil e do vale-gás nacional.

O programa que daria mais dor de cabeça ao governo federal de qualquer maneira é o vale-motorista. Por fim, existe uma lei eleitoral que impede que novos projetos sociais sejam pagos em anos eleitorais.

Neste caso, o governo estaria impedido de criar o voucher. De qualquer forma, o Planalto apertou o botão de emergência com o objetivo de abolir as regras eleitorais às vésperas da eleição presidencial.

Compartilhe este post:

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.